O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Filhos tímidos?

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

O seu filho é hiperativo? Ponha-o a mexer o corpo!

“Parece que tem bicho carpinteiro”, “tem pilhas duracell”, “anda sempre no mundo da lua”, “parece que nem me ouve”, “muda de tarefa constantemente”, “é desorganizado”, “não sabe onde deixou as coisas”, “age sem pensar”… Já todos ouvimos estes comentários que descrevem algumas das dificuldades de crianças com Perturbação de Hiperatividade e Défice e Atenção (PHDA). É uma perturbação neurocomportamental que manifesta os primeiros sinais desde tenra idade, caracterizada por um conjunto de sintomas persistentes de falta de atenção, excesso de atividade motora e/ou impulsividade. Manifesta impacto negativo nas várias áreas de vida (escolar, familiar e social) da criança e nas dinâmicas familiares. Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

4 regras essenciais para o seu filho dormir bem

Todos sabemos que o sono tem um papel vital na nossa vida, a nível físico, metabólico e emocional. Ajuda-nos a criar e consolidar memórias e tem efeito direto na atenção, comportamento e emoções. Sabia que as crianças que não dormem o suficiente podem ser, erradamente, diagnosticadas com PHDA? É verdade, pois muitos dos sintomas são os mesmos – as crianças que dormem pouco têm mais dificuldades para se concentrar, mais facilmente distraídas e mais irrequietas ou impulsivas. E as crianças, de todas as idades, têm dificuldade em aprender quando não dormem o suficiente, o que por sua vez, interfere no desempenho escolar. Vejamos as regras básicas, mas por vezes negligenciadas por muitas famílias, para garantir que as crianças durmam bem. Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Como os pais podem prevenir o consumo de álcool dos filhos

Por muito que os pais não gostem de pensar sobre o assunto, a verdade é que há a tendência crescente de os filhos experimentarem e abusarem do consumo do álcool em idades cada vez mais precoces. Portanto, é importante começar a discutir o assunto com os filhos desde crianças e continuar a falar sobre isso à medida que crescem. Uma comunicação aberta, honesta e apropriada à idade, hoje, prepara o cenário para que o seu filho o aborde mais tarde com outros problemas difíceis. Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Rotinas e rituais: amigos da vida familiar

No mundo dos crescidos, pensar em rotinas e rituais pode ser algo que é feito com cara de poucos amigos. Parecem não estimular, dando pouco espaço à criatividade e à novidade, podem ser enfadonhos e repetitivos… A lista de argumentos em seu desfavor poderia ser interminável. Felizmente, a lista de argumentos a favor de rotinas e rituais pode ser bastante mais animadora, revelando grande importância na vida familiar e, particularmente, na vida dos mais pequenos. Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Como encorajar uma imagem corporal saudável na adolescência

Numa fase delicada, que é a adolescência, a procura da idealização do “corpo perfeito”, como padrão de beleza, influenciada pelos meios de comunicação, a nossa própria cultura e comparação com os outros, tem como consequência uma insatisfação generalizada dos adolescentes acerca da sua imagem corporal que, por sua vez, afeta fortemente a autoestima e relações interpessoais. Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Ensine o seu filho a lidar com o stress

Desengane-se quem pensa que as crianças vivem sem preocupações e sem stress. Podem não ter contas para pagar ou grandes responsabilidades no trabalho, mas, tal como os adultos, têm exigências diárias e situações que nem sempre correm como esperado. Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Quando nasce um irmão… Nasce o ciúme?

O nascimento de um irmão é a perda do posto de filho único que, até então, não tinha de dividir atenções. É algo é difícil para muitas crianças, que podem ter variadas reações naturais, desde o entusiasmo, o ciúme ou até  o ressentimento. Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Estratégias para deixar de berrar com o seu filho

Se começou a ler este artigo é porque provavelmente está cansado(a) de ter de berrar lá em casa. As dificuldades em fazer-se ouvir, em lidar com as emoções que isso lhe provoca e ter de recorrer aos berros constantemente para que o seu filho lhe obedeça está a provocar-lhe um grande desgaste físico e psicológico. Além disso, também já se apercebeu que não é eficaz a longo prazo, que não traz qualquer benefício construtivo para o desenvolvimento do seu filho e, pior ainda, que está a ter efeitos negativos no ambiente familiar e principalmente na relação com ele. Provavelmente também já reparou que berra quando está mais cansado(a), frustrado(a) ou impaciente. Continuar a ler