O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

O primeiro aniversário do Pedrocas

O-aniversario-do-pedrocas-O-Nosso-T2-Blog

Bom dia! Ainda no rescaldo das emoções fortes que a nossa Seleção nos ofereceu, venho só agora (alguns depois) falar do piquenique que fizemos para os amiguinhos do Pedro e do Tomás, para comemorar o primeiro aniversário do Pedrocas!

Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Parabéns Pedro, parabéns Tomás, parabéns a nós!

Parabens-Pedro-parabens-Tomas-parabens-a-nos-O-Nosso-T2-Blog

Nasceu há precisamente um ano a outra metade do meu coração. O meu segundo filho. A confirmação inequívoca de que o coração de um mãe tem elásticos à prova de tudo. Descobre-se num ápice que se ama um filho para além do fim do mundo e que se amam dois exactamente da mesma maneira. E se amarão três ou quatro, seguramente, para quem os tiver.

Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Miminhos de mãe e filho: ontem foi o dia do Tomás!

Miminhos-de-mae-e-filho-ontem-foi-o-dia-do-Tomas-o-nosso-t2

Bom dia!

Ontem tirámos o dia para nós! Tive folga e o Tomás não foi à creche. Às vezes é mesmo preciso dar exclusividade a um filho … e também à mãe dele!  Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Fim de semana ao sol

Bom dia!

Fim de semana de sol equivale a fim de semana na rua! Já estamos todos a precisar de apanhar ar, de sair de casa, de brincar com as crianças ao ar livre! Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Este dia já ninguém me tira

Bom dia! Ontem foi a comemoração do Dia da Mãe nas creches dos meus filhos e de tantas outras crianças. Foi uma manhã muito bem passada, muito feliz! Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Todos os pais sabem o que isto é!

tania-ribas-de-oliveira-o-nosso-t2Bom dia!

As manhãs de todas as famílias são sempre uma lufa lufa, mas com organização tudo se faz! Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Parabéns, Tomás! 3 anos

Parabéns, Tomás! 3 anos

Voarei contigo, meu amor pequenino, para toda a parte. Serei tua co-piloto nos pequenos grandes vôos no céu do teu quarto e nas longas viagens que farás vida fora. Levanto vôo todos os dias nas asas da tua imaginação, meu Comandante de alma livre e coração puro.

O melhor do mundo és tu e o teu irmão. O Melhor do mundo é o vosso pai que me vos ofereceu. De presente, de bandeja, de coração aberto e abraço apertado. Como é possível que o Amor, sendo tão vago, possa ser tão especificamente traduzido pelos vossos olhares e pelas vossas mãos?

Falemos apenas de ti, que hoje o dia é teu. Dava-te uma coroa se a quisesses, mas preferes a medalha que o pai te ofereceu.

– “sou um herói, mãe”.

Nem imaginas o quanto. Salvaste-me quando me nasceste no mais lindo dia de Dezembro de 2012. Salvaste-me, sim. Da tragédia que seria não ser eu a tua mãe. Quando nasceste eu renasci. Aprendemos juntos a ser tantas vezes e de novo um só. Que benção imaculada, esta, de te ver crescer ao segundo. De te ver rir e dançar. De te contar histórias. De ouvir as tuas histórias, tão mais criativas do que as minhas. Do que as dos livros todos que tens no quarto, que são muitos. Sabes lá, Tomás, do orgulho que sinto em andar contigo de mãos dadas. De te levar ao colo quando te lembras que és pequenino. De subir todos os muros da escola até casa, sempre os mesmos, todos os dias. De viajar contigo nas tuas palavras, nas tuas questões, nas poucas dúvidas confessas e nas tuas muitas certezas: gostas de pêra madura, de maçã e de banana. De amarelo. De quentinho. Da Patrulha Pata e da Dora. De plasticina. De fingir que conduzes ao volante do carro do pai. Gostas de cães e de cavalos. Gostas do Bauer. Gostas das meias dobradas e dos velcros dos ténis bem apertados e “direitinhos”. De mangas arregaçadas. De ir ao teatro, ao cinema e à natação com os amigos. De pisar folhas secas e de dizer que no Outono também está sol e frio e chuva e tudo. Gostas de dormir na nossa cama de manhã depois do leite morno. Gostas de chegar primeiro. De fazer as mesmas perguntas para ouvir sempre as mesmas respostas. Gostas dos aviões de papel do avô Artur. Gostas de saber para onde vais e quando e como e com quem e porquê. Gostas de dizer que gostas. “Da mãe, do Pai do Pedro e do Bauer na nossa casa que é tão linda”.

 

Hoje fazes três anos, filho: o mundo é teu.

O mundo e este meu abraço.

Hoje e sempre, para todo, todo o sempre, o meu colo à tua espera.

Parabéns e mais um beijo a transbordar de Amor.

Da tua mãe orgulhosa,

Tânia

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

5 tempos para crescer

Crescer nem sempre é fácil. É um processo complexo que deve ser feito de brincadeiras, aprendizagens, regras e amor 🙂 Saiba como ter “conta, peso e medida” aqui: Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Amamentar… direito, dever ou obrigatoriedade?

Amamentar… direito, dever ou obrigatoriedade

Nos dias de hoje o aleitamento materno é uma temática incontornável quando falamos da maternidade. No entanto, as opiniões dividem-se e temos por vezes muita dificuldade em conseguir aceitar diferentes perspetivas. É importante termos sempre noção de que cada mãe vive a sua experiência de gravidez e maternidade de um modo muito próprio. As alterações físicas e emocionais (tantas hormonas à solta!!!) decorrentes da gravidez e pós-parto são motivo suficiente para que a mulher se questione ela própria das suas convicções. Continuar a ler

O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

É este o meu acordar!

É este o meu acordar!

 

É este o meu acordar
Bom dia! É este o meu acordar! Amor a duplicar de há dois meses e meio a esta parte. É engraçada a relação destes dois meninos lindos, sendo um deles ainda tão pequenino. O Pedro, quando ouve a voz do mano começa logo à procura dele a rir e o Tomás, fazendo por se mostrar indiferente ao bébé, mal o ouve chorar começa a disparar causas:
– mãe, o mano está com fome!
– mãe, o mano tem dói-dói!
– mãe, o mano tem dores de barriga!
Eheheh! Tenho um ajudante à altura!
Só agora lhe temos notado alguns ciúmes. Não os demonstra com o Pedro directamente, mas tem feito alguns finca-pé que não fazia. Com os ténis que quer e não quer levar, para tomar banho, para jantar… O normal, mas com calma vamos lá.

É sempre, sempre, com muito amor.

Tânia Ribas de Oliveira