O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

O meu Pedrinho faz anos!

Fazes hoje três anos, meu girassol! Só podias ter nascido num dia 7, do mês 7… número mágico desde a Antiguidade. Foi isso que tu, Pedrinho, trouxeste à nossa vida e à nossa família: magia. E tanta felicidade, tanta paz e tanta alegria. És um menino que tem o sol dentro, sempre cheio de luz! Não há dias cinzentos perto de ti, pois não? Nasceste para nos despertares sorrisos e também gargalhadas, porque és cómico e doce, em medidas iguais. Chamei-te bebé canguru durante muito tempo, levei-te comigo para a RTP tinhas apenas dois meses, porque as profissões de sonho também têm destas coisas. Estar longe de ti não era opção, por isso fizeste-me companhia até fazeres 5 meses, diariamente e a amamentar em exclusivo. Saía do programa quando tinhas fome, e voltava quando já dormias. Habituámo-nos a viver assim e íamos buscar o mano juntos, que tinha apenas dois anos e meio e também precisava muito de nós. Foram tempos exigentes, mas sempre felizes. Conseguimos! Desdobrámo-nos nas circunstâncias mas nunca te deixei, nunca nos deixámos. Valeu a pena, claro. Hoje fazes três anos e recordo com emoção o momento exacto em que nasceste, às 14h30 de uma quinta-feira cheia do teu sol, meu amor. Ficaste colado a mim enquanto me cosiam e eu chorava, sem dor, só de amor. Inundei-te das minhas lágrimas imensas, maiores do que eu e do que tu, porque eu sabia que estava perante um ser Maior. Que Deus te abençoe sempre, que a vida te seja generosa e que sejas sempre a luz que ilumina todas as sombras e todos os vazios. O mundo é mais bonito contigo. E eu sou a tua Mãe, aquela que escolheste para te proteger para sempre e para te abraçar todas as noites da tua vida, mesmo quando já fores crescido e o meu colo já não chegue para todo o teu corpo. Chegará sempre para a tua alma. Para a tua e para a do teu irmão. Para sempre. Parabéns, meu amor!