O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

4 regras essenciais para o seu filho dormir bem

Todos sabemos que o sono tem um papel vital na nossa vida, a nível físico, metabólico e emocional. Ajuda-nos a criar e consolidar memórias e tem efeito direto na atenção, comportamento e emoções. Sabia que as crianças que não dormem o suficiente podem ser, erradamente, diagnosticadas com PHDA? É verdade, pois muitos dos sintomas são os mesmos – as crianças que dormem pouco têm mais dificuldades para se concentrar, mais facilmente distraídas e mais irrequietas ou impulsivas. E as crianças, de todas as idades, têm dificuldade em aprender quando não dormem o suficiente, o que por sua vez, interfere no desempenho escolar. Vejamos as regras básicas, mas por vezes negligenciadas por muitas famílias, para garantir que as crianças durmam bem.

Rotina, rotina, rotina

Ter higiene do sono implica estabelecer hábitos que promovam uma boa noite de sono. Nas crianças, uma rotina deve envolver horários definidos e regulares de ir para a cama. Devem ser respeitadas as horas de sono recomendadas para cama faixa etária: 3 a 5 anos – de 10 a 13 horas; 6 a 13 anos – de 9 a 11 horas (fonte: National Sleep Foudation). Para além disso, é fulcral haver atividades relaxantes antes de dormir e evitar a utilização de tecnologia (televisão, tablet, telemóveis), uma vez que estimula a criança e atraso a produção da hormona do sono.

 

Ambiente adequado

Outro fator importante é fazer do quarto um bom lugar para dormir. O quarto deve estar escuro e sem ruído e não ter distratores (p.ex.: despertadores brilhantes, luzes intermitentes nos consolas de jogos e telemóveis).

Outra regra imprescindível é que a cama só deve ser usada para dormir. As crianças, e principalmente os adolescentes, usam a cama para tudo, incluindo fazer trabalhos de casa, ver televisão, estar no computador portátil. Este hábito é totalmente desaconselhado, pois as crianças (e adultos também) devem associar as suas camas apenas ao ato de dormir. Dessa forma, quando se deitam, mais facilmente conseguem adormecer e prevenir problemas de sono.

 

Consistência dos pais

Um grande obstáculo para que as crianças colaborem na hora de dormir é, frequentemente, a inconsistência dos pais. É importante estabelecer uma rotina, pois a criança precisa de previsibilidade, para se sentir segura e tranquila. Por exemplo, vai tomar banho, depois vai ouvir uma história para dormir e depois as luzes são apagadas e desta forma, ela sabe que tem de dormir. Tenha em mente que todas as crianças são diferentes, por isso a rotina do sono que funcionou para uma criança pode não funcionar para outra.

Cama da criança

Um dos maiores disruptores do sono é a tendência de algumas crianças para irem para o quarto dos pais a meio da noite, o que traz implicações para a qualidade do sono de toda a família. Se o seu filho acordar a meio da noite, deve levá-lo de volta à cama dele o mais rápido possível e tranquilizá-lo. Em casos mais difíceis, é preferível sentar-se numa cadeira ao lado da cama, fazendo-lhe companhia até adormecer.

Se com uma higiene do sono consistente o seu filho tem dificuldades para adormecer, ou não tem um sono reparador, consulte um profissional.

 

Raquel Carvalho

Psicóloga Clínica

Equipa Mindkiddo – Oficina de Psicologia