O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Dicas para minimizar a angústia de separação no bebé

O que é a angústia de separação?

Se o seu bebé chora quando algum dos pais sai da sala, já não gosta de ir ao colo de outras pessoas, está muito difícil para adormecer ou começou a acordar durante a noite, pode ser o principio da angústia de separação.

A partir dos 7 ou 8 meses o bebé já é capaz de identificar as pessoas que conhece melhor e, como consequência, sentir-se-á mais ligado à mãe e ao pai. Neste sentido, a ansiedade de separação é de facto um bom sinal. Indica que o bebé está a criar uma ligação segura e, acima de tudo, saudável com os seus pais. Este sentimento, de ansiedade e abandono, aparece quando se afasta das figuras de vinculação, principalmente da mãe. Nesta fase o bebé ainda não tem presente a noção de que quando alguém sai do seu campo de visão irá voltar. É importante que o bebé ganhe confiança nos pais e perceba que, apesar de estarem longe, não o abandonaram.

Quando o bebé entra nesta fase de angústia de separação pode notar que ele começa a agarrar-se a si e a chorar antes de o deixar com outro adulto, como uma avó ou outra cuidadora, ou na hora de fazer uma sesta ou de ir para a cama à noite.

Este fenómeno pode surgir de um dia para outro. O bebé está adaptado e, de repente está a soluçar ou aterrorizado com a ideia de deixar os pais.

A angústia de separação pode ainda surgir quando a mãe volta ao trabalho ou quando os pais começam a deixar o bebé numa creche ou com outra pessoa que irá cuidar dele durante o dia.

 

Angústia de separação e o sono

Embora seja uma fase expectável do desenvolvimento do bebé e não ser motivo para preocupação, está muitas vezes associada a problemas no sono.

O bebé pode ter mais dificuldade em adormecer, chorar muito na hora de ir para a cama, não querer ficar sozinho ou acordar mais vezes a meio da noite e precisar da mãe ou do pai para voltar a adormecer. Isto acontece porque o bebé não se quer separar dos pais na hora de ir para a cama ou, ao acordar, precisa de os ver para se sentir seguro e voltar a adormecer.

A angústia de separação é considerada a maior causa envolvida nas regressões do sono em bebés de entre os 8 meses e 1 ano.

Deixo aqui algumas dicas, que ajudarão o seu bebé a sentir-se seguro e a ultrapassar esta fase da melhor maneira possível:

Mime-o : Ponha-se ao nível do bebé e conforte-o com abraços e beijinhos, principalmente antes de ir para a cama. Se ele acordar durante a noite a pedir atenção, conforte-o até ficar tranquilo. Está a ensina-lo que está perto e que o ajuda quando ele precisa. No entanto, estas interacções devem ser curtas. Não é hora para ler historias ou cantar. Mal o bebé esteja confortável outra vez deixe o quarto, para que não crie também um mau hábito.

Brinque com ele: Jogue ao cu-cu , desapareça do campo de visão do bebé e volte a aparecer. É muito importante para o bebé perceber que os objectos, assim como as pessoas, vão e voltam.

Dê-lhe tranquilidade e segurança:  Responda ao choro do bebé duma maneira tranquila e relaxada. Atenção ao seu tom de voz, não reflicta o pânico da criança. Se os pais, figuras de segurança, parecem preocupados e ansiosos estão a confirmar que, de facto, a separação é assustadora, e que o bebé tem razões para sentir medo. Por outro lado, se os pais estiverem relaxados e confiantes, vão ajudar o bebé a sentir-se assim também.

Treine ausências curtas: Saia do campo de visão do bebé por curtos períodos de tempo, mas continue a falar com ele. Trabalhe com ele a noção de permanência do objecto, ou seja, mesmo quando ele não vê o objecto, ou a pessoa, aprende que ainda existe e que pode voltar.

Despeça-se sempre: Peça a alguém que leve o bebé à porta, diga-lhe adeus e explique onde vai e que volta mais tarde. É importante que ele confie que os pais saem e que voltam, e essencialmente disse-lhe a verdade quando foi embora. Se sair sem se despedir, vai criar a ideia de que basta olhar para o lado ou distrair-se que a mãe pode desaparecer.

Mantenha uma rotina antes de o deitar: para além de o ajudar a relaxar na hora de ir para a cama, também lhe proporciona a consistência e previsibilidade que o bebé precisa para se sentir seguro para adormecer.

Objecto de Transição: Deixe o bebé escolher um objecto, pode ser um pano, um boneco, uma fralda, qualquer coisa que o acalme e que lhe dê segurança nos momentos em que precisa, como na hora de deitar, na ida para a creche, etc.
A cima de tudo, lembre-se que é uma fase normal do desenvolvimento e que com tempo e alguma paciência, o seu filho vai voltar a dormir bem e a adormecer sozinho e tranquilo.

Leonor Serrano Martins

Psicóloga Clínica especializada no Sono do Bebé e da Criança

www.osprimeirosanos.com

osprimeirosanos@gmail.com