O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Sou tímido e “caí de para-quedas” nesta escola. O que faço?

Sabemos que há crianças que são mais tímidas que outras. É uma característica de temperamento como qualquer outra. Por vezes estas crianças são mais observadoras e menos expansivas e não costumam ser as primeiras a tomar iniciativa na interação com os pares. Não são as mais populares, mas desenvolvem e mantêm amizades saudáveis desde o pré-escolar.

Quando vivenciam mudanças na sua vida, desde uma mudança de casa, ou mudança de escola que implique sair da zona de conforto e afastar-se do seu ciclo de amigos, pode surgir a preocupação: “Como vou fazer amigos? Com quem vou brincar se não conheço ninguém?” Normalmente, os pais desvalorizam esta questão, respondendo “não te preocupes, no final do dia já tens muitos amiguinhos novos!” Será mesmo assim? Imaginemos que é um adulto tímido, que mudou de emprego, os seus novos colegas já se conhecem e têm as suas cumplicidades, e não se sente à vontade para tomar iniciativa de se juntar a eles na hora do café ou de meter conversa com algum. Aliar um bom desempenho no seu trabalho e ao mesmo tempo fazer amizades pode parecer uma tarefa difícil, não?

Então, imagine como se sente uma criança, que ainda não tem as suas competências sociais e emocionais totalmente desenvolvidas. Será útil auxiliá-la a lidar com este novo desafio com sucesso e prevenir que tenha experiências mais complicadas, como isolar-se, ser excluída das brincadeiras, gozada pelos pares, ou começar a ter vergonha e receio de realizar atividades na sala de aula nas quais sinta que está a ser observada e avaliada pelos colegas.

Em primeiro lugar, mostre-se disponível para ouvir a criança sem a julgar. Converse com ela e explique-lhe que todos nós, miúdos e graúdos, perante mudanças sentimos receio do ambiente novo, alguma vergonha do convívio com pessoas desconhecidas e dúvida de sermos capazes de enfrentar as novas exigências. É natural que a criança fique mais ansiosa tanto nos primeiros dias de aulas como nos dias que antecedem a entrada para a escola nova. Mas à medida que os dias vão passando, a ansiedade e vergonha vão desaparecendo.

Existem alguns truques que podem facilitar o desenvolvimento de novas amizades:

– sorrir para os novos colegas e professores;

– evitar ser o último a sair da sala;

– observar os colegas que têm interesses e brincadeiras que também gosta, para que posteriormente se sinta mais à vontade para se aproximar deles;

– não ficar sozinho enquanto os outros brincam em grupo, aproximando-se dos colegas, mesmo que não tenha havido um convite formal para brincar;

– não dar ouvidos a pensamentos negativos, como por exemplo “eles não querem brincar comigo”, “não sei fazer aquele jogo”;

– respirar fundo, contar até 10 e pensar em algo positivo, quando se sentir mais ansioso.

Conversar com a professora e pô-la a par da situação poderá ajudar na integração do seu filho. Vá mostrando entusiasmo, lembrando-o que já conseguiu fazer amizades anteriormente e que ter paciência e não desistir é essencial. Com o tempo, ele irá adaptar gradualmente ao novo ambiente e fará novas amizades.

 

Raquel Carvalho

Psicóloga Clínica

Equipa Mindkiddo – Oficina de Psicologia