O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Pelos Olhos do Tomás

– mãe, como é que se chega à lua?
– de foguetão, Tomás.
– e de foguete não dá?

– não…
– e com uma escada gigante, não dá?
– não…
– e com um pescoço de uma girafa também não dá?
– não, amor. Só de foguetão. É muito longe, a lua.
Pausa.
– então vou esperar que a lua esteja cheia. Assim agarro com a minha mão, sabes? Estico para o céu e já está. Não preciso de nenhum foguetão.

Nota da mãe: percebeste, Armstrong? Tinha sido muito mais fácil assim.