O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Como educar filhos optimistas?

como-estudar-filhos-optimistas-o-nosso-t2-blog

O optimismo é um pilar nas práticas positivas e saudáveis que vamos desenvolvendo ao longo da nossa vida e, como tal, a atitude optimista deve ser incutida e estimulada nos mais pequeninos.

E se lhe disser que o nosso auto-conceito vai também depender do nosso optimismo ao longo do desenvolvimento?

O optimismo não só gera motivação, dedicação, persistência, flexibilidade e compaixão, como permite a auto-regulação de emoções negativas de forma mais ajustada, experienciando as adversidades com menores níveis de frustração e com atitudes menos derrotistas e inseguras.

A investigação tem demonstrado que o optimismo é um bom predictor na prevenção de inúmeras dificuldades, nomeadamente físicas e mentais. Pessoas mais optimistas têm maior facilidade em estabelecer relações com as outras pessoas, têm maior autoconsciência, dedicam-se mais a si próprias e tendem a manifestar comportamentos mais ajustados e positivos em situações de maior ansiedade.

Enquanto pais, devemos procurar ser optimistas e dar o exemplo aos nossos filhos, para que também eles aprendam a sê-lo. Se parte da nossa aprendizagem é decorrente da observação e imitação de comportamentos, as crianças irão adoptar comportamentos semelhantes àqueles que observam nas suas figuras de referência, que na maioria das famílias, são os pais e/ou avós.

Para educar com optimismo, deve procurar estar atento aos comportamentos do seu filho e estimular atitudes optimistas através de pequenas práticas, como:

– Quando partilharem as experiências diárias de cada um, procurem focar nos momentos bons do dia e reparem na forma como se sentem quando recordam esses acontecimentos;

– Perante situações que possam ser difíceis para o seu filho, encoraje-o a tentar e reforce também a iniciativa dele (quando a criança toma iniciativa perante situações novas), demonstrando que cada vez que ele conquistar um novo desafio são novas aprendizagens que ele fará, mesmo que isso implique errar em alguns momentos, garantindo-lhe que errar é algo perfeitamente natural no processo de aprendizagem;

– Ensine o seu filho a dar segundas oportunidades a ele mesmo e às pessoas com quem ele se relaciona;

– Evite críticas vagas ao comportamento do seu filho. Procure antes clarificar aquilo que correu menos bem e ensine a fazê-lo de uma forma diferente numa próxima tentativa.

– Demonstre-lhe como está atento às suas capacidades e como aceita as suas particularidades. Valorize diariamente os esforços e dedicação do seu filho e verbalize e demonstre a admiração, o carinho e o orgulho que sente por ele.

Cecília Santos

Psicóloga Clínica

Oficina de Psicologia