O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

O calor, as grávidas e os bebés…

A-alimentacao-e-alguns-mitos-da-amamentacao-O-Nosso-T2-Blog

Nestas semanas de verdadeiro verão temos passado dias de imenso calor. Ouvimos muitas vezes os alertas do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, mas frequentemente temos dificuldade em traduzir esses alertas em medidas de cuidados efetivos.

Mesmo quando temos noção dos cuidados gerais a ter em atenção nestes momentos, importa relembrar algumas especificidades no que respeita a estas fases tão particulares das nossas vidas!

Acima de tudo, os pontos essenciais que quero sublinhar são a prevenção da desidratação e do sobreaquecimento, quer na grávida, quer nos bebés! Assim, vou falar um pouco de cada um deles e tentar propor estratégias para minorar ou prevenir os danos provocados pelo sol e pelo calor.

As grávidas

Qualquer grávida deve ter como uma das suas prioridades a hidratação; ou seja, deverá beber sempre mais do que 1,5l de água por dia. Se acrescentarmos os líquidos perdidos adicionalmente no verão, esta quantidade pode facilmente duplicar ou até mais. Quero sublinhar que esta hidratação deve realmente ser com água, os sumos nomeadamente os açucarados levam mais facilmente à desidratação, pois na realidade aumentam a sede. Parece um contrassenso, mas a verdade é que por osmose o corpo vai utilizar os líquidos que tem dentro de si para equilibrar o açúcar que entrou através do sumo. Por isso, bebidas não açucaradas! O vosso adereço preferido para esta estação deve ser uma garrafa de água!!

A exposição solar da barriga, numa gravidez normal e desde que controlada em horários não problemáticos (ou seja, evitar o intervalo das 11h às 17h) à partida não constituirá problema de maior. No entanto, é muito importante lembrar a “regra” anterior: se estão mais expostas a calor, devem ingerir mais água. Devem também levar convosco alimentos frescos e pouco açucarados (algumas frutas como as uvas, melancia, maçã… são boas hipóteses). Levem também umas bolachas para irem mordendo durante o tempo que estiverem na praia. As bolas de Berlim e os gelados não combinam muito bem com uma gravidez saudável, pois são altamente açucarados (voltamos ao mesmo!).

Quando estão na praia existe um outro cuidado respeitante à exposição solar. O sobreaquecimento a que estamos sujeitas quando passamos muito tempo ao sol, faz com que o bebé aumente a frequência cardíaca, situação que se prolongada pode levar a consequências negativas no seu bem estar. Assim, para além de evitar as alturas de maior calor, refresque-se frequentemente, com duches, banhos de mar ou manter-se à sombra!

A proteção da pele é sempre fundamental! A única ressalva que tenho a fazer neste aspeto é que as hormonas da gravidez normalmente aumenta a tendência para hiperpigmentação, ou seja, manchas mais escuras na pele. Muitas vezes essa pigmentação é visível a nível da barriga (uma linha vertical que parece dividir a barriga ao meio), sendo também algo frequente na face (chamada muitas vezes de “pano”). Não é linear a forma de evitar o aparecimento dessas manchas, até porque mesmo na mesma mulher em gravidezes diferentes fases da sua vida pode ter maior ou menor incidência. Não obstante, podemos minorar o crescimento dessas manchas com um bom protetor solar, com índice de proteção elevado, portanto toca de colocar na mala um protetor com índice superior a 30 ou mesmo 50 para levar a todo o lado.

Por fim uma palavra às grávidas “de risco”… Mesmo com estes cuidados uma ida à praia pode ser ameaçadora para si ou para o seu bebé. Uma coisa muito frequente com o calor e a desidratação é o desencadear de contrações uterinas, que podem ou não fazer o seu corpo entrar em trabalho de parto… se for cedo demais, talvez seja melhor não experimentar… Se já estiver no final do tempo, não vai querer em qualquer caso desidratar, mas pode dar umas caminhadas na areia ao final ou no início do dia, pois o esforço de caminhar na areia seca pode ter o mesmo efeito. Para ilustrar esta situação podemos rapidamente relembrar que ainda no ano passado a praia apareceu na televisão pois uma mulher tinha tido bebé exatamente na praia!!

Bebés

Para começar, gostaria já de desfazer um mito… Os bebés NÃO têm mais frio do que nós!!!! Realmente são mais “permeáveis” às temperaturas externas, ou seja arrefecem mais facilmente no inverno, mas agora no verão também vão mais facilmente aquecer, especialmente se seguirmos à risca o que muita gente nos vai dizer, que o bebé tem de estar bem “agasalhado” e com mais roupa do eu os adultos!!! Especialmente os recém-nascidos, que perdem muito facilmente os líquidos do corpo e não se vê a transpirar, para além de que ficam super molengões se estiverem demasiado aquecidos. E isto torna-se m problema tipo “bola de neve”: está aquecido perde líquidos e fica molengão, não quer acordar para mamar e portanto não repõe os líquidos… Assim cada vez vais ficar mais molengão e mais desidratado (dos líquidos que perde e daqueles que não ingere). Por isso, a menos que consigam uma temperatura de cerca de 20/22ºC, deixem os bebés à fresca!!!

Então e beber água? É uma pergunta muito pertinente… No entanto, temos de dividir os bebés: os bebés amamentados em exclusivo não devem beber água (em países como Portugal e semelhantes, em que a humidade não seja elevada), ao passo que aos bebés alimentados por fórmula, nesta altura de maior calor pode-lhes ser oferecida água em pequenas quantidades, para suprir as necessidades extra de hidratação. Em todo o caso, deverá ser água e não chás em primeira instância que é oferecido.

Quanto aos bebés amamentados em exclusivo não se recomenda, pois o leite materno aumenta a quantidade de água na sua composição à medida que o corpo da mãe sente mais calor ! Assim, a ideia é aumentar a frequência das mamadas e oferecer a meio das mamadas um pouco de mama só para “matar a sede”. De cada vez que se oferecer água a um bebé amamentado, ocupamos o seu estômago com água e ele vai ter muito menos fome, alimentando-se em menor quantidade do que o “suposto”!

No que concerne à exposição solar, recém-nascidos e bebés pequenos não devem apanhar luz solar direta. Assim, ao irem para a praia, eles devem permanecer na sombra, com chapéu e roupa clara. É altamente desaconselhado estar com bebés pequenos na praia entre as 11h e as 17h!!!!! Nos restantes períodos, sombra do chapéu, chapéu na cabeça, camisolas e calções vestidos.

Para proteção da pele, antes dos dois anos a maior parte do pediatras recomenda um creme protetor mineral, pois utiliza os minerais para formar uma barreira protetora, ao invés de utilizar químicos para proteger dos raios solares!

Assim o sol e o bom tempo vão ser de certo bem aproveitados em família!!!

Apenas uma ressalva… Portugal é sempre massacrado pelos incêndios nesta altura… o fumo é altamente nocivo e tóxico quer para adultos, quer (essencialmente) para crianças pequenas… Se vos for possível, afastem-se o mais que conseguirem!!!