O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Tarte estaladiça de Dióspiro e Romã

Tarte estaladiça de Dióspiro e Romã

Ingredientes:

85g de Bolachas digestivas
85g de Flocos Aveia
20g de Açúcar Amarelo
100g de Manteiga sem sal

Recheio:

1 Dióspiro variedade rija
1 Romã
2 colheres de sopa de mel
100g de Queijo Philadelphia Light
100g de Natas vegetais para batar (ex: Alpro Soya)
Q.b de folhas de Hortelã (opcional)

Massa:

  • Desfaz com as tuas mãos as bolachas digestivas em pó para dentro de uma taça média previamente pesadas.
  • Adiciona os flocos de aveia e o açúcar ao preparado anterior e mexe com uma espátula.
  • Leva a amolecer a manteiga no micro ondas 35 segundos na potência máxima.
  • Adiciona aos ingredientes secos e mexe bem para que amanteiga se envolva bem nos ingredientes secos.
  • Forra uma torteira (18 a 20 cm de diâmetro) com essa massa pressionando primeiro o centro e depois as laterais e repete esta operação até que fique bem moldada a massa à torteira.
  • Coloca um circulo de papel vegetal por cima da massa e por cima da folha adiciona feijão ou grão cru, para que a massa ao cozer não perder a cavidade.
  • Leva ao forno num tabuleiro durante 10 a 15 minutos.
  • Passado este tempo retira do forno e deixa arrefecer.

Recheio:

  • Entretanto lava as frutas. Retira a pele ao dióspiro corta em meias luas ou em quartos pequenos e reserva.
  • Corta a coroa da Romã e com uma faca faz 4 incisões na vertical pouco profundas em volta dela, com uma colher dá-se pequenas pancadas para que se soltem as sementes que são o fruto, e reserva.
  • Numa taça adiciona o queijo e o mel, mexe bem para que fique bem incorporado e junta as natas previamente batidas na batedeira ao preparado anterior.
  • Recheia a tarte com este creme (podes usar o saco de pasteleiro) e por fim decora com o dióspiro e com a romã que reservas-te.
  • Enfeita com folhas de Hortelã (opcional)

Atenção:

Não faças esta receita sozinho! Pede a ajuda de um adulto.

Curiosidades:

A Romã:

É uma fruta exótica e milenar. Existem registros de restos da fruta em túmulos egípcios com mais de quatro milénios. É usada desde a antiguidade por diversas culturas.

Em cozinha a Romã tem varias utilizações em decoração e confeção de sobremesas e pratos de carne, molhos e sumos.

A romã possui uma importância histórica grande, uma vez que faz parte do contexto cultural de muitos povos. Para os gregos, a fruta era consagrada a Deusa do amor e da beleza.

Fonte: ECOCHEERVEGAN

O Dióspiro:

É um fruto que se consome sobretudo ao natural. As suas utilizações em cozinha são reduzidas, aplica-se essencialmente em sobremesas.

O diospireiro é originário da China embora muito mais popular no Japão. Em Portugal podem ser encontradas duas variedades predominantes: a de cor vermelha e a de cor alaranjada.

A primeira é a mais consumida apresentando-se no seu estado maduro como um fruto bastante doce e mole sendo necessário muito cuidado para realizar o seu transporte.

Já a segunda variedade é bem mais dura não necessitando de grandes cuidados no manuseamento. Esta também não tem um sabor tão adocicado comparativamente à primeira.

Fonte: Em Forma

Bon appétit.

Petit Chef