O Nosso T2, por Tânia Ribas de Oliveira

Preparação para o parto… sim ou não?

Plano de parto

Existem atualmente muitos locais onde os casais se podem inscrever para cursos de preparação para o parto… Mas o que interessa é o casal primeiro pensar naquilo que pretende com um curso de preparação para o parto!

Então e se falarmos noutra coisa: Cursos de preparação para o parto e parentalidade! A verdade é que, enquanto o trabalho de parto e parto duram algumas horas, a parentalidade é um processo de construção e crescimento contínuos que começa no momento em que decidimos ser pais (ou, como diriam alguns estudiosos do tema, logo que começamos, em crianças, a brincar com bonecos e a imitar os nossos pais).

Assim, torna-se diferente pensar num curso que nos prepara para umas horas, ou num curso que nos poderá preparar para uma vida!

Se a gravidez e a parentalidade sempre aconteceram ao longo dos tempos, porque é que hoje em dia temos muito mais cursos deste género? Precisamos de compreender o enquadramento do que é ser-se pai atualmente. Aqui há uns anos, a mulher que engravidava tinha em seu redor a mãe, tias, primas e outras familiares que já tinham, elas próprias sido mães. Assim, estabelecia-se uma rede de suporte social, em que todas partilhavam as suas experiências e ajudavam a mulher a construir o seu papel maternal e a preparar-se para o que aí vinha. Hoje em dia, as famílias estão mais dispersas, para além de que são mais pequenas (temos menos irmãos, ou mesmo nenhuns), o que faz com que muitas vezes o nosso bebé é o primeiro recém-nascido com que contatamos e de quem cuidamos.

Ao mesmo tempo, a área da saúde tem sofrido grandes evoluções e os cuidados à mãe e bebé foram sofrendo alterações em relação aos que eram realizados pelos nossos pais e avós. O que acontece é que, mesmo que os avós queiram ajudar, nem sempre conseguem fazê-lo do modo mais adequado ou de acordo com as diretrizes mais atuais.

Por todas estas situações, os cursos de preparação para a parentalidade ajudam não só o casal, como a restante família a acolher e cuidar o bebé num clima mais informado e mais tranquilo, fornecendo boas estratégias e conhecimentos indispensáveis para que este seja um momento realmente maravilhoso, sem tantos medos e anseios, combatendo o bicho papão que é a pergunta que nos fazemos muitas vezes… “será que vou ser capaz?”

E para que realmente estejamos preparados para viver a nossa gravidez, parto e parentalidade ao máximo, há temáticas que são incontornáveis:

A gravidez: a sua normal evolução, os desconfortos que habitualmente acompanham o evoluir da gravidez, compreender o que se passa dentro do nosso corpo e as mudanças deste estado, permite perceber que apesar de ser um “estado de graça”, para algumas mulheres poderá ser acompanhado de momentos mais cansativos e desconfortáveis!

Os sinais de alarme durante a gravidez: é importante saber distinguir claramente o que são desconfortos da gravidez e o que são sinais que o nosso corpo nos dá para alertar que algo não está bem. Para além do pressentimento/instinto materno, há claros sinais que devem levar qualquer grávida a procurar cuidados especializados; aprender esses sinais é indispensável para não correr riscos

Trabalho de parto e parto: mulheres informadas têm melhor capacidade de lidar com os momentos que envolvem o trabalho de parto e parto, sabem o que esperar e o que podem fazer para diminuir o desconforto e para ajudar o trabalho de parto a evoluir da forma mais benéfica para si e para o seu bebé. Saber o que acontece durante o trabalho de parto, assim como conhecer estratégias que ajudam a uma evolução mais positiva traz não só uma “hora pequenina”, como acima de tudo lembranças maravilhosas do “primeiro dia do resto das vossas vidas”!

O recém-nascido: que ser maravilhoso e fascinante é este que têm nos vossos braços? O que faço com ele? Só dorme? Só chora? Como alimentá-lo, que estratégias para alívio dos desconfortos? Como comunicar com ele e estimulá-lo? Que competências traz consigo? Conhecer e compreender o bebé que nasceu transmite aos pais segurança e tranquilidade, as maiores ferramentas e as mais importantes para cuidar de um bebé.

Alterações físicas e psicológicas da mulher no pós-parto: e de repente já não temos um “rei na barriga”, o nosso corpo não volta imediatamente à forma, tão pouco a nossa cabeça nos responde do modo como pensávamos. As mudanças são vertiginosas e se soubermos o que nos espera, estaremos munidos de estratégias que nos permitam lidar melhor com esta montanha-russa de emoções que nos espera!

Alimentação do recém-nascido e do bebé: falar da amamentação é algo que é imprescindível durante a gravidez, a informação nunca é demais e poderá ajudar numa tomada de decisão ponderada, assim como um trabalho preparatório mais consciente e capaz. Mesmo no caso de uma decisão no sentido de não amamentar, é importante conhecer as estratégias de alimentação mais adequadas ao bebé e criança.

Estes são os assuntos mais prementes, dentro de outras temáticas que poderão a eles ser acrescidas… Agora vemos que “preparação para o parto” é apenas uma das parcelas de um curso de preparação para a parentalidade!

Assim, a decisão do casal não deve ser se faz ou não um curso de preparação para o parto, mas sim se fará uma preparação para a parentalidade!